50,4% dos espanhóis bebem menos líquidos diariamente do que o recomendado, segundo investigação realizada com 1.262 pessoas de toda a Espanha e publicada recentemente na revista “ Importância do consumo de água na saúde e prevenção de doenças: situação atual ”realizado por especialistas do Danone Institute e publicado no Scientific Journal, Hospital Nutrition.

De acordo com a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA), as mulheres devem consumir pelo menos dois litros de líquido (água, refrigerantes ou água de comida) por dia e homens, dois anos e meio. O referido estudo revelou que metade das pessoas consumia menos de 80% da quantidade recomendada diariamente. De acordo com esta pesquisa, os homens são os que hidratam mais, já que 59,2% deles não ingerem líquidos suficientes de acordo com as recomendações da EFSA, enquanto nas mulheres essa porcentagem cai para 41,6%.

A hidratação insuficiente tem um impacto muito negativo em nosso corpo. Isso nos torna propensos a pedras nos rins e mau funcionamento do sistema urinário, e afeta a cognição e a memória de curto prazo. Quando a ingestão de líquidos é deficiente e crônica, viu-se que poderia contribuir para o desenvolvimento de hipertensão, tromboembolismo, acidente vascular cerebral e outras doenças coronárias ”, ressalta Jordi Salas, membro do Instituto Danone e um dos autores do a resenha publicada na Revista Científica de Nutrição Hospitalar, da qual também participaram Luis Moreno, Francisco Maraver, Leocadio Rodríguez, Miguel Saénz de Pipaón e Isidro Vitoria.

Desidratação em idades avançadas

A desidratação pode afetar pessoas de qualquer idade, mas as crianças pequenas e, principalmente, os idosos são os grupos com maior risco de sofrimento ", indica Leocadio Rodríguez, membro do Instituto Danone.

De acordo com a revisão , é em lares de idosos onde a desidratação é mais frequente: pode ser observada em até 40% das pessoas que vivem neles, enquanto no ambiente comunitário, 5% ou 10% sofrem.

Segundo o Dr. Rodríguez, alguns dos fatores associados a um maior risco de desidratação em idosos são: processos infecciosos que causam aumento nas perdas de água; a restrição da mobilidade que impede o livre acesso à água, o uso de certos medicamentos com efeito diurético e a perda da sensação de sede que acompanha o próprio processo de envelhecimento e pode ser agravada por alguns medicamentos ou por comprometimento cognitivo.

Crianças, as mais afetadas

O risco de desidratação também é importante entre crianças e adolescentes, na verdade, eles seriam a população mais afetada por este problema. Um estudo publicado recentemente, coordenado por Luis Moreno, membro do Instituto Danone, revela que até 70% das crianças e adolescentes ingerem menos água diariamente do que o recomendado pela EFSA.

Este estudo também mostrou outros maus hábitos relacionados à ingestão de líquidos. 40% das crianças e 50% dos adolescentes tomam bebidas açucaradas diariamente, sendo as bebidas à base de sucos de frutas as que mais contribuem para esse percentual. Da mesma forma, 20% dos adolescentes ingerem apenas um copo de água por dia . Os pesquisadores também identificaram que é durante as refeições que as crianças e adolescentes ingerem a maior parte do líquido que bebem durante o dia.

É importante promover uma boa disponibilidade de água em casas e escolas, especialmente agora que já pressiona o calor e aumenta o risco de sofrer desidratação, e que os pais não sejam permissivos com o consumo de bebidas açucaradas, que crianças e adolescentes devem ingerir apenas ocasionalmente ", aconselha Luis Moreno, um dos autores do estudo. [19659014]