A Sociedade Espanhola de Médicos de Atenção Básica (SEMERGEN) reclama há muito tempo e, finalmente, a insistência valeu a pena desde a última quinta-feira, 18 de março, foi aprovada no Congresso dos Deputados a retirada da aprovação da terapia tripla, uma mudança esperada e importante para profissionais e pacientes com DPOC.

É por isso que, como Sociedade Científica, estamos satisfeitos com a aprovação do Projeto de Lei sobre medidas urgentes de prevenção, contenção e coordenação para enfrentar a crise de saúde causada por COVID -19 que incluiu a retirada temporária do visto para terapia fixa tripla para DPOC .

Este procedimento afeta quase 300.000 pacientes com DPOC moderada ou grave 10 por cento dos mais de 3 milhões de espanhóis que sofrem desta doença, tornando-os uma população de alto risco para o coronavírus.

Da SEMERGEN, no âmbito do nosso 42º Congresso Nacional, apresentamos uma posição na qual assinalamos que o actual sistema de vistos compromete a capacidade e põe em causa o profissionalismo e a responsabilidade do médico de família . O visto limita o médico de família em sua prática, pois é uma barreira à prescrição e, além disso, é um sistema que gera desigualdade entre médicos e entre pacientes.

SEMERGEN propõe trabalhar no projeto de um novo sistema de controle de prescrição apoiado por auditorias subsequentes, com base em critérios explícitos e conhecidos de segurança do paciente e custo-benefício .

Portanto, acreditamos que este é um primeiro passo para analisar o sistema de vistos atual. Entendemos que barreiras burocráticas não devem ser estabelecidas antes da prescrição, o que pode interferir nos resultados de saúde de nossos pacientes.