Na Espanha, cTodos os anos há mais mortes por suicídio do que por acidentes de trânsito. Em 2020, o suicídio continuou sendo a principal causa de morte externa, com 3.941 óbitos, 7,4% a mais que em 2019, segundo o Instituto Nacional de Estatística.

A prevenção continua sendo essencial. por isso cPor ocasião do Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, celebrado em 10 de setembro, a Lundbeck lançou, em redes sociais, a campanha #StopSuicides, com o objetivo de envolver toda a sociedade nessa tarefa.

Nas palavras de Cecília Borràs, psicóloga e presidente da “Depois do Suicídio – Associação de Sobreviventes” (DSAS), “Quase sempre é possível detectar sinais de alerta de risco de suicídio, embora não sejam identificáveis ​​em todos os casos. Acontece como na condução, às vezes perdemos um sinal porque nos distraímos. Além disso, não somos treinados como somos para dirigir.

Assim, através dos perfis da Lundbeck no instagram, twitter e linkedin, e os de rethinkdepression -facebook e twitter- podem ser encontradas informações sobre os sinais de alerta a serem observados, como tristeza excessiva, isolamento social, sentimentos de desesperança ou dificuldade em lidar com o dia hoje.

Educar na prevenção do suicídio é vital. “É muito necessário e deve ser feito desde cedo. Temos que saber o significado dos sinais e também o contexto em que ocorrem, pois a prevenção do suicídio é um assunto de todos. A dor emocional é uma expressão da vida e deve-se dar espaço a essa gestão emocional, também da própria casa”, afirma Cecília Borràs.

Depressão e risco de suicídio

A campanha #StopSuicides também coloca a Foco na relação entre depressão e risco de suicídio. “Está demonstrado que, com bom acompanhamento farmacológico e psicoterapêutico, a depressão é uma doença tratável, mas não se deve esquecer que pode se tornar crônica, podendo haver recaídas. Compreender a depressão é essencial para a prevenção do suicídio. A depressão é como a gripe da mente. Podemos ter sintomas de gripe muito leves, mas pode ser complicado por pneumonia. Da mesma forma, podemos sofrer de depressão leve, mas é preciso ter um bom suporte médico, terapêutico, familiar e ambiental, para que não se complique. A depressão não é uma atitude em relação à vida, mas uma doença que impede e dificulta o funcionamento diário.

Por Susana Gómez-Lus, Diretora Médica da Lundbeck Iberia, “todos temos um papel importante na prevenção do suicídio. Reconhecer os sinais de alerta e saber agir salva vidas, razão pela qual lançamos esta campanha digital, que busca conscientizar e educar para a prevenção, fruto do nosso compromisso social como empresa comprometida com a saúde do cérebro”.