Neste sábado, 18 de dezembro, é comemorado o Dia Nacional da Esclerose Múltipla uma doença desmielinizante, inflamatória e degenerativa do sistema nervoso central, que afeta mais de 50.000 pessoas na Espanha, segundo dados dos espanhóis Society of Neurology (SEN).

Todos os anos cerca de 2.000 novos casos desta doença neurológica são detectados na Espanha, que geralmente começa a se manifestar em pessoas entre 20 e 40 anos de idade, o que a torna neurológica mais comum doença em adultos jovens e no distúrbio neurológico não traumático incapacitante mais comum nessa faixa etária. Afeta mais mulheres, em uma proporção de 3 de 4 casos, e nos últimos anos tem havido um aumento não só no número de casos, mas também na porcentagem de pacientes do sexo feminino e na idade de início dos sintomas.

“Ainda muitos dos fatores que podem influenciar o aparecimento desta doença são desconhecidos. De qualquer forma, acreditamos que o aprimoramento das técnicas para o seu diagnóstico, juntamente com as mudanças no estilo de vida ocorridas na população justificam, pelo menos em parte, esse aumento no número de casos ”, explica o Dr. Miguel Ángel Llaneza, Coordenador do Grupo de Estudos de Doenças Desmielinizantes da Sociedade Espanhola de Neurologia. “Embora a esclerose múltipla não seja uma doença exclusiva de mulheres jovens, cerca de 5% dos casos começam antes dos 18 anos (esclerose múltipla pediátrica) ou após os 50 anos (início tardio de esclerose múltipla). E a forma de apresentação mais comum dessa doença, em quase 85% dos casos, é aquela que se manifesta em suas fases iniciais na forma de “surtos”, a forma recorrente-remitente ”.