A União Europeia (UE) cofinancia uma ambiciosa campanha de informação apresentada pela Interprofessional Dairy Organization (InLac) para destacar a sustentabilidade do setor lácteo, bem como os valores nutricionais e saudáveis ​​do leite e produtos lácteos. Este programa europeu para produtos lácteos sustentáveis ​​(“Sustainability friendly European lácteos proram”) inclui ações em Espanha e Bélgica até 2024 com um orçamento de 2,2 milhões de euros.

o Presidente da InLac, Ignacio Elola, explicou hoje na sede do MAPA esta campanha promocional que, sob o lema “Conte com os lácteos europeus”, integra ações de comunicação, publicidade e ponto de venda, enquanto o Ministro da Agricultura, Pesca e Alimentação, D Luis Planas, encarregado de fechar o dia.

Durante a conferência de imprensa, os resultados do “Análise de posicionamento de produtos lácteos europeus”realizado pela Ikerfel para o Interprofesional Láctea, que traz informações valiosas sobre a percepção que os consumidores têm desses produtos.

De acordo com as conclusões desta análise, praticamente 90% dos consumidores consideram que as variáveis ​​mais associadas ao leite e aos produtos lácteos referem-se às propriedades do produto, como o aporte de cálcio e vitaminas, a sua percepção de um produto básico em a dieta, a imagem de produtos saudáveis ​​e saudáveis, o aporte de energia… e 73% dos consumidores consideram que os produtos lácteos são sustentáveis principalmente do ponto de vista social e ambiental.

Apesar de 72% da população total declarar que sabe que a quantidade diária recomendada de produtos lácteos é de 3 por dia, cerca de dois terços da população não consome a quantidade recomendada.

Uma indústria comprometida

As explorações agrícolas europeias, na sua grande maioria familiares, são um motor de revitalização das zonas rurais e das indústrias leiteiras, uma das principais indústrias de muitas das nossas cidades. Sua presença contribui para manter as áreas rurais vivas, fixando a população e criando empregos. “O projeto europeu mostrará aos consumidores que o setor lácteo como um todo está comprometido com a gestão correta dos recursos naturais e seu ambicioso ‘roteiro’ para ser mais respeitoso com o planeta e alcançar a neutralidade climática”, destaca Elola.

Segundo a FAO, o desenvolvimento do setor de laticínios é vital, pois é “um instrumento sustentável, equitativo e poderoso para alcançar o crescimento econômico, a segurança alimentar e a redução da pobreza, porque a atividade leiteira é um fonte regular de renda; fornece alimentos nutritivos; diversifica os riscos; melhora o uso de recursos; Gerar emprego; cria oportunidades para as mulheres; e proporciona estabilidade financeira.”

O setor leiteiro é também responsável pela coesão social, económica e territorial das regiões de Espanha, bem como pela subsistência de muitas famílias, pela organização, ocupação e proteção do território e pela conservação das práticas culturais e tradicionais. “Só na Espanha, são gerados mais de 60.000 empregos nesta atividade”, acrescenta o presidente da InLac.

Campanha europeia inovadora

As ações vão valorizar como os produtores, a indústria de laticínios, a produção de leite e laticínios contribuem para a mitigação das mudanças climáticas; preservar a biodiversidade, lutar contra o despovoamento; promover a economia rural e o emprego e incentivar a inovação.

A cerimônia de apresentação contou com a presença de agentes econômicos e sociais, além de representantes do Comitê de Sustentabilidade, órgão de assessores especializados da campanha.

No quadro de uma alimentação variada e equilibrada, os principais guias internacionais de nutrição recomendam um consumo que varia de 2 a 4 porções diárias de leite e derivados laticínios, dependendo da idade e da situação fisiológica. Assim, em crianças, são recomendadas 3 porções ao dia; em adolescentes 4 e em adultos de 2 a 3 porções. E, para gestantes e gestantes e idosos entre, entre 3 e 4 porções. “Eles constituem um grupo de alimentos completo e equilibrado, pois fornecem um alto teor de nutrientes em relação ao teor calórico. Fornecem proteínas de alto valor biológico, carboidratos (lactose), gordura, vitaminas como B12, vitamina A, C, D, entre outras, e minerais, principalmente cálcio e fósforo”, ressaltam deste Comitê.