Na Espanha, a taxa de sobrevivência de bebês prematuros excede 80% em bebês nascidos a partir da 25ª semana de gravidez. Isso se deve, entre outros motivos, à evolução significativa que vem ocorrendo nos protocolos e atendimentos oferecidos pelos serviços de Neonatologia em nosso país nos últimos tempos. “Um bebê é considerado prematuro quando a gravidez termina antes da data prevista para o parto. Ou seja, quando o parto ocorre antes da 37ª semana de gestação”explica o Dr. Miguel Sáenz de Pipaón Marcos, membro da área de Neonatologia do Hospital Universitário La Paz em Madrid.

Um dos principais desafios enfrentados pelos bebês prematuros é o baixo crescimento, pois nascem antes do início da fase final da gravidez, que é o período de crescimento máximo. Trata-se de um assunto de grande relevância, pois pelo menos 30% dos bebês prematuros necessitam de uma abordagem nutricional específica para garantir seu desenvolvimento.

Nesse sentido, o Dr. Saenz de Pipaon explicar o quê “o manejo nutricional ideal deve ser individualizado e deve ter como principal elemento o leite materno, uma vez que demonstrou melhorar o neurodesenvolvimento, tanto físico quanto cognitivo, do bebê. Da mesma forma, reduz infecções graves (sepse e meningite) e doenças da prematuridade, como enterocolite necrosante, displasia broncopulmonar e retinopatia da prematuridade. Além disso, é muito importante ter em mente que a principal causa de morbidade nesses bebês é o baixo ganho de peso.”.

O papel dos fortificantes no estado nutricional de prematuros

Embora o leite materno seja o melhor alimento para todos os recém-nascidos, sejam eles a termo ou prematuros, no caso dos prematuros nem sempre é suficiente para cobrir todas as suas necessidades e necessidades nutricionais. “Ocasionalmente, prematuros necessitam da ajuda de fortificantes do leite materno para atingir um estado nutricional adequado. Especialmente, nos referimos aos bebês nascidos antes de 34 semanas de gravidez e que não excedam 1.800 gramas”, aponta o especialista.

O objetivo principal dos fortificantes é apoiar o crescimento pós-natal a uma taxa semelhante ao crescimento fetal e com composição corporal adequada em bebês prematuros. “Os prematuros necessitam de uma ingestão de 3,5 ml/kg por dia e, após 14 dias de vida, essas contribuições nutricionais não podem ser recebidas sem a ajuda de um suplemento“, justifica a Dr. Saenz de Pipaon.

Por esta razão, “o uso de fortalecertor é essencial, dado que leite maternoem exclusivo é incapaz de fornecer a quantidade de proteínas e minerais necessários na grande maioria dos bebês prematuros. Dessa forma, contribuiremos para a redução do tempo de internação e poderemos garantir que o recém-nascido atinja seu peso ideal no menor tempo possível.”, conclui o médico.