O Ministério da Saúde deixará o endereço de Farmácia nas mãos de César Hernández, até agora chefe do Departamento de Medicamentos para Uso Humano da Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos de Saúde (Aemps), substituindo Patricia Lacruz, que deixa o cargo a seu próprio pedido por motivos pessoais, segundo fontes ministeriais. O Conselho de Ministros aprovou a sua nomeação como Diretor Geral da Carteira Comum de Serviços do Sistema Nacional de Saúde e Farmácia.

Durante o mandato de Lacruz, grandes mudanças foram empreendidas no setor farmacêutico, com o lançamento dos relatórios de posicionamento terapêutico (IPT), o sistema Valtermed, o início das terapias avançadas e a aprovação do primeiro CAR-T, e o enfrentamento da crise da covid , que envolveu a compra de produtos de saúde no início e de vacinas na segunda fase da pandemia. Ficam, no entanto, pendências, como a reforma da Lei de garantias e uso racional de medicamentos e produtos de saúde, cujo processo de auditoria

A ex-diretora-geral chegou ao Ministério em 2018 vinda da Comunidade Valenciana junto com a ex-ministra socialista Carmen Montón, e permaneceu no cargo com seus sucessores: María Luisa Carcedo, Salvador Illa e Carolina Darias.

De 2015 a 2018, ocupou o cargo de Diretora Geral de Farmácia e Produtos de Saúde do Departamento de Saúde Universal e Saúde Pública da Generalitat da Comunidade Valenciana, liderada pela própria Montón. Antes, passou por vários cargos de responsabilidade sanitária na autonomia valenciana.

Por sua parte, César Hernández, Bacharel em Medicina e Cirurgia, especialista em Reumatologia e Doutor em Medicina pela Universidade Complutense de Madrid (UCM)ingressou na AEMPS como chefe do Departamento de Medicamentos Humanos em 2009.

O cargo de César Hernández na Aemps agora será ocupado por Antonio Blázquez Pérez, vice-chefe do Departamento de Medicamentos para Uso Humano desde 2017.

O Conselho do COF, satisfeito

Jesús Aguilar, presidente do Conselho Geral dos Farmacêuticos, manifestou a sua satisfação com a nomeação de César Hernández como novo Diretor Geral da Carteira Comum de Serviços do SNS e Farmácia. «Damos-lhe as boas-vindas e colocamo-nos à disposição para trabalhar em conjunto e recuperar o tempo perdido, pois são muitos os desafios para a Farmácia que temos de enfrentar a curto e médio prazo. Temas que não podem esperar mais se quisermos continuar fortalecendo nosso sistema de saúde e aproveitando os recursos disponíveis, como os mais de 78.000 farmacêuticos em nosso país. Colocamo-nos à disposição para nos encontrar com ele o mais breve possível para definir as prioridades desta agenda comum e começar a trabalhar em conjunto”, afirmou.

Da mesma forma, Aguilar reconheceu o importante trabalho que está sendo realizado no Ministério da Saúde tanto pela ministra Carolina Darias, quanto pela Secretária de Estado da Saúde, Silvia Calzón, bem como o trabalho realizado pela Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos de Saúde (Aemps ), dirigido por María Jesús Lamas e do qual, até agora, César Hernández era chefe do departamento de medicamentos para uso humano. Ao mesmo tempo, assegurou que “com esta mudança esperamos uma maior vontade de diálogo por parte do director-geral, e que mais uma vez a profissão farmacêutica possa recuperar um interlocutor que permita que um grupo essencial avance no sistema de saúde como um todo”.