Oferecer apoio e ajuda para melhorar o cuidado e a qualidade de vida de pessoas com problemas de saúde mental, bem como de seus cuidadores e familiares. Com este objetivo, farmacêuticos, profissionais de saúde mental, pacientes e o Governo da Andaluzia apresentaram esta manhã um novo guia de treinamento e informativo que visa ajudar na assistência às pessoas com saúde mental desordens melhoram a formação dos profissionais de farmácia e informam e sensibilizam a população sobre a importância de quebrar os mitos e preconceitos que existem em torno deste tipo de patologia, que até hoje ainda são tabu para grande parte da sociedade .

A iniciativa faz parte da campanha "Cuéntame tú" promovida conjuntamente pela Federação Andaluza de Familiares e Pessoas com Problemas de Saúde Mental (FEAFES Andalucía Saúde Mental), do Conselho Andaluz das Associações Farmacêuticas Oficiais (CACOF), a Associação Andaluza de Profissionais de Saúde Mental (AAPSM), o Ministério da Saúde e da Família e o distribuidor à Bidafarma Pharmaceutical, com a colaboração da aliança Otsuka – Lundbeck.

Este novo guia foi apresentado esta manhã num evento realizado na sede da CACOF, com a participação do Vice-Ministro da Saúde e Famílias da Junta de Andalucía, Catalina García; a vice-presidente da FEAFES ANDALUCÍA SALUD MENTAL, Carmen Sibaja; o presidente do CACOF, Antonio Mingorance; e a secretária da Associação Andaluza de Profissionais de Saúde Mental (AAPSM), Pilar Ventosa.

Durante a sua apresentação, os promotores da iniciativa destacaram que o objetivo deste guia e da campanha "Cuéntame tú" Tem tem sido unir esforços para obter uma atenção mais próxima e pessoal ao grupo de saúde mental da Andaluzia e lutar contra o estigma causado pela falta de saúde mental, além de oferecer ferramentas aos profissionais e à sociedade em geral de informação para compreender melhor este problema e oferecer orientações e recomendações para uma vida saudável para alcançar melhores cuidados sociais e de saúde e bem-estar para as pessoas que sofrem com isso, bem como para seus cuidadores e familiares.

Para este propósito, proximidade e capilaridade da rede de farmácias da Andaluzia (quase 4.000 em toda a Comunidade), publicando um guia que recolhe informações de grande utilidade para a utilização de Os profissionais farmacêuticos, que em muitos casos são o meio mais próximo de acesso ao sistema de saúde, e que com a sua ajuda podem oferecer um serviço de apoio e confiança aos doentes e utentes com transtornos mentais nas farmácias, além de auxiliar no encaminhamento para o Serviços especializados de saúde mental.

Actualmente, a nossa Comunidade conta com mais de 278.000 pessoas tratadas nas Unidades Hospitalares de Saúde Mental do sistema público de saúde da Andaluzia, nomeadamente 278.312 (ano 2020). Estima-se que 8% dessas pessoas estão no grupo de diagnóstico de Transtornos Mentais Graves.

Por outro lado, e de acordo com os últimos dados dos Centros de Avaliação e Orientação da Andaluzia, na Comunidade existem 572.268 pessoas reconhecidas com um grau de deficiência igual ou superior a 33%, dos quais 87.792 com diagnóstico de Transtorno Mental Grave.

A Vice-Ministra da Saúde e da Família, Catalina García explicou em seu discurso as medidas implementadas para melhorar Assistência Social de Saúde Mental na Andaluzia, onde se destaca um plano intensivo com três projetos diferenciados que contam com um orçamento global de 6,2 milhões de euros. Esses projetos contemplam a melhoria do atendimento aos transtornos mentais graves (SMI) por meio da implementação de uma equipe de tratamento comunitário intensivo (ETIC) nas unidades de gestão clínica de saúde mental ; a incorporação de um psicólogo clínico nas Unidades Gestoras de Clínicas de Saúde Mental, um facilitador das interações do cuidado com a Atenção Básica; e promover programas de fortalecimento do movimento associativo e desenvolver atividades dirigidas às pessoas com problemas de saúde mental e suas famílias.

Carmen Sibaja, vice-presidente da FEAFES Andalucía Salud Mental, afirmou que “ter um A vacina contra COVID-19 tem sido uma prioridade sanitária e social e seu rápido desenvolvimento é, sem dúvida, um grande sucesso científico e social. Infelizmente, saúde mental não tem vacinas e precisamos de duas, uma para combater a doença e outra para combater o estigma social que sofremos por ser a principal barreira que encontramos para conseguir a recuperação e a inclusão social . Esta vacina, a da tolerância social, não é feita em laboratório, é feita relatando rigorosamente os problemas mentais, gerando alianças e esforços unificadores, como fizemos nesta campanha ".

" Melhorando o treinar nossos farmacêuticos em aspectos relacionados à saúde mental e oferecer apoio e ajuda a pessoas com sua própria experiência em saúde mental, cuidadores e familiares é outro passo para alcançar uma farmácia comunitária mais atenciosa, como temos promovido de o Conselho da Andaluzia. E esta iniciativa traduz claramente o empenho e a responsabilidade da Farmácia Andaluza nesta, como um dos serviços de saúde mais próximos dos cidadãos e dos doentes. O desenvolvimento deste tipo de campanhas e programas de formação é fundamental para dar visibilidade a estas pessoas e melhorar o seu quotidiano ”, destacou o presidente do CACOF, Antonio Mingorance.

Por sua vez, Pilar Ventosa, secretária da AAPSM, considera a rede essencial de uma abordagem biopsicossocial onde a intervenção da comunidade no ambiente de pessoas com problemas de saúde mental torna-se essencial. Por isso, segundo Ventosa, “ é de vital importância o desenvolvimento de campanhas de sensibilização como a atual, onde o envolvimento do farmacêutico“ de cabeceira ” como pessoa acessível, próxima, solidária e de referência. Incluir o farmacêutico entre os agentes envolvidos no processo de recuperação é fundamental para aumentar a taxa de maior adesão, reduzir os efeitos colaterais e alcançar maior sucesso terapêutico, garantindo estabilidade clínica, e isso significa uma maior qualidade de vida para essas pessoas ".

A edição deste guia é a última ação da campanha “Cuéntame tú”, iniciada em 2019 e que contou com a imagem da popular atriz andaluza María Galiana, que colaborou altruisticamente na iniciativa. Especificamente, o guia coleta informações completas distribuídas por assunto relacionado a problemas de saúde mental, com destaques como síndrome metabólica, autocuidado, sexualidade e reprodução, os efeitos colaterais de medicamentos antipsicóticos, atividade física na saúde mental, ou os riscos e causas de recaídas; bem como outras dicas e recomendações sobre hábitos de vida saudáveis ​​para os pacientes. Acrescenta também informações das associações FEAFES da nossa Comunidade, como pontos de apoio e informação a doentes e familiares.

O desenvolvimento da campanha incluiu também outras acções destinadas a oferecer aos farmacêuticos andaluzes ferramentas de apoio aos cuidadores e familiares através da formação sessões. Especificamente, foram realizadas sessões de treinamento em cada uma das oito faculdades de farmacêuticos da Comunidade, onde os profissionais de farmácia puderam ampliar seus conhecimentos sobre os problemas de saúde mental e o cuidado e atenção a essas pessoas.

Da mesma forma, a Foi publicado o Guia prático da ação farmacêutica em pessoas com problemas de saúde mental e uso de medicamentos antipsicóticos, dirigido especificamente aos farmacêuticos andaluzes para completar a preparação recebida nessas sessões de treinamento e como um manual básico para um cuidado adequado para pessoas com problemas de saúde mental.

Por último, a campanha incluiu a distribuição em todas as farmácias andaluzas de 4.000 cartazes, 160.000 folhetos específicos com informações por tema de interesse, mais de 6.000 guias práticos de ação farmacêutica em pacientes com transtornos mentais e uso de medicamentos antipsicóticos e 18.000 diretrizes resumidas. Todos esses materiais também estão disponíveis em formato digital em www.cacof.es.