No verão passado, houve mais de 70 casos causados ​​pela inoculação do vírus da febre do Nilo através da picada de mosquitos, principalmente do gênero Culex spp, um “crescimento sem precedentes de casos” . Se deseja saber a situação epidemiológica da área onde vive e quais são as medidas de prevenção fundamentais, dirija-se à sua farmácia.

A Febre do Nilo Ocidental é uma doença causada pelo Vírus do Nilo Ocidental, e é transmitido às pessoas pela picada de mosquitos infectados, principalmente do gênero Culex . Os pássaros são os hospedeiros naturais e a infecção também afeta cavalos, embora a transmissão humana só possa ser transmitida por meio de mosquitos. O período de incubação da infecção geralmente dura entre 3 e 14 dias e 80% dos infectados são assintomáticos. Cerca de 20% das pessoas infectadas apresentam febre, dores de cabeça, fadiga, dores no corpo, náuseas e vômitos, como os principais sintomas, e em ocasiões muito raras (menos de 1%) complicações como meningite ou meningo-encefalite. [19659004] Farmácias andaluzas em campanha

Como resultado dos casos ocorridos no ano passado (mais de 70 na Andaluzia ) e da notificação recente este ano de um caso de meningoencefalite devido ao vírus do Nilo Ocidental, o Conselho andaluz das Associações Oficiais de Farmacêuticos (CACOF), em colaboração com as oito Associações da Andaluzia deu início a uma campanha de informação dirigida, em primeiro lugar, aos profissionais farmacêuticos e, por último, aos população, a fim de divulgar os principais aspectos relacionados a essa doença e suas medidas fundamentais de prevenção, principalmente voltadas para evitar a picada do mosquito, que é a principal via de transmissão da Febre do Nilo Ocidental. “As farmácias, enquanto estabelecimentos de saúde mais próximos e acessíveis ao doente, são um ponto estratégico de informação segura, de qualidade e fiável para os cidadãos, daí a iniciativa que decidimos lançar para ajudar a população andaluza na prevenção da Febre do Nilo Ocidental, e conscientizá-los da importância de se protegerem contra picadas de mosquitos ”, explica Antonio Mingorance, presidente do CACOF .

Do Ministério da Saúde da Andaluzia recomendam manter vigilância em animais como cavalos, pássaros e reforço das atividades de vigilância e controle de mosquitos transmissores, para reduzir o risco de transmissão do vírus para humanos e melhorar o conhecimento sobre a circulação do vírus.

Para prevenir as picadas

  1. Use tecidos mosquito redes nas janelas e portas da casa.
  2. Use roupas que cubram a pele : mangas compridas, calças compridas ou meias, especialmente no final da tarde.
  3. Use repelentes para uso doméstico no corpo.
  4. Use aerossóis (inseticidas) de produtos domésticos usar e em espaços ventilados.
  5. Evite ficar ao ar livre ao anoitecer e ao amanhecer.
  6. Desligue a luz quando não for necessário, pois os mosquitos vão para a luz.
  7. Fique longe de espaços com água estagnada não tratada (água clorada).