A pele da sola do pé é muito mais grosso do que a dos espaços entre os dedos (interdigital), que é onde ocorre a maioria das infecções fúngicas dos pés (popularmente chamadas de pé de atleta).

Esse recurso faz cremes antifúngicos e outros produtos aplicados na pele para tratar fungos ter algo mais difícil de penetrar para cumprir sua função.

Claro, isso determina o tratamento. Por exemplo, quando nos deparamos com um micose “em mocassim” (pele mais grossa na sola do pé com manchas vermelhas que podem subir para os lados, daí o nome “em mocassim”…) freqüentemente devemos recorrer a tratamentos orais que geralmente são combinados com tópicos.

Não que sejam fungos mais resistentes, mas simplesmente que afetam uma área onde a pele é mais espessa e isso dificulta a cicatrização.

O tempo queeles levam tempo para desaparecer É variável. Dependendo da extensão e do tempo de evolução das lesões, e desde que o tratamento seja adequado, elas podem demorar mais ou menos tempo para cicatrizar, às vezes o mês é excedido.

Como geralmente é um tratamento longo, é vital seguir rigorosamente o conselho do especialista.

Às vezes é necessário mudar a estratégia. Se as lesões persistirem, pode ser aconselhável realizar uma cultura para determinar a origem específica da infecção ou para avaliar outras opções diagnósticas.

Para nunca mais se encontrar nessa situação precauções extremas:

  • Escolha calçados respiráveis.
  • Procure sempre secar bem a pele.
  • Evite a transpiração excessiva.
  • Não ande descalço em áreas públicas.