O Grupo Andaluz de Distúrbios do Movimento (GATM) realizou recentemente sua Reunião de Inverno de 2020 em Antequera (Málaga), onde os principais especialistas da Comunidade Autônoma na doença de Parkinson, mioclonia e ataxias, entre outros, eles atualizaram seus conhecimentos e discutiram sobre os últimos desenvolvimentos em torno desse grupo de patologias. A reunião foi apoiada pela TEVA Neuroscience . "Os distúrbios do movimento são uma área essencial para a empresa, que continua focada na melhoria do arsenal terapêutico disponível no sistema nervoso central (SNC)", explica Carlos Teixeira, diretor geral da TEVA para Espanha e Portugal . Ele acrescenta: "A partir do TEVA, estamos muito comprometidos com a pesquisa, o treinamento e a abordagem dessas doenças, que são complexas e têm impacto em todas as áreas da vida dos pacientes".

A consulta científica foi dirigida por o Dr. Francisco Escamilla Sevilla, coordenador do GATM e neurologista do Hospital Universitário Virgen de las Nieves de Granada, que destaca a apresentação sobre as aplicações da inteligência artificial (IA) e as novas tecnologias em distúrbios do movimento, dado por Dr. Álvaro Sánchez Ferro, do Centro Integral de Neurociências AC – HM Hospital Puerta del Sur de Móstoles (Madri), convidado nesta edição.

“A IA e as novas tecnologias já são uma realidade, mesmo na prática clínica . Por exemplo, da Sociedade Espanhola de Neurologia (SEN), modelos preditivos de IA baseados em redes neurais estão sendo desenvolvidos para identificar pacientes com doença de Parkinson candidatos a tratamentos de segunda linha. Além disso, há um crescente desenvolvimento de tecnologias para estudar diferentes contextos clínicos dos pacientes como aplicativos, dispositivos portáteis para avaliar a marcha, quedas e flutuações, sensores em formato de relógio para monitorar as taxas de atividade e sono, filmagem para avaliar aspectos motores, etc. O último é muito voltado para o futuro telemedicina ”, detalha o Dr. Escamilla, que comenta:“ Os neurologistas dedicados a distúrbios do movimento têm grandes esperanças na capacidade dos métodos de análise estatística por IA, como deep learning para classificar os pacientes de acordo com suas características genéticas e clínicas, a fim de abordar o ideal da medicina personalizada. ”

Um tratamento para cada fase da doença

Especialistas e, especificamente, o Dr. Javier Abril Jaramillo analisaram as últimas cinco décadas de uso de inibidores da monoamina oxidase (MAOIs) na doença de Parkinson e o aparecimento de Rasagilina como paradigma em cada fase da doença. “Por mais de dez anos, a rasagilina tem sido uma das principais opções terapêuticas para a doença de Parkinson em todas as suas fases. Tanto no momento do diagnóstico, em monoterapia ou politerapia, como em fases intermediárias ou complicações motoras, é um medicamento útil e com bom perfil de tolerância, o que o torna considerado um dos tratamentos ideais, também para evitar altas doses de levodopa, um fator que tem sido relacionado ao desenvolvimento precoce de complicações motoras ”, explica o Dr. Francisco Escamilla, coordenador do GATM.

Sobre as mudanças previstas na abordagem do Parkinson a curto ou médio prazo, o Dr. Escamilla enfatiza que existem numerosos ensaios em diferentes fases, cada vez mais focados em tentar modificar o curso evolutivo da doença de Parkinson: “Por enquanto, a proteína“ estrela ”que se acumula de maneira anormal nas diferentes estruturas do sistema nervoso da Os pacientes de Parkinson são sinucleína. O desenvolvimento de terapias (incluindo vacinas) visa impedir o acúmulo desta proteína, fato que está associado à morte de neurônios. ”

GATM: 15 anos de avanços nos distúrbios do movimento [19659002] Desde que o GATM foi criado em 2005, o Winter Meeting é o principal encontro científico de neurologistas andaluzes dedicados a distúrbios do movimento. “O objetivo deste encontro é a troca de conhecimentos, a atualização nas principais áreas temáticas e o ensino destinado aos residentes de Neurologia. A partir daqui, surgiram idéias que se materializaram em publicações e guias de prática clínica, como os Manuais de Recomendações de Prática Clínica na Doença de Parkinson (2012 e 2017) ”, enfatiza seu coordenador.

Como o Grupo Espanhol de Desordens do Movimento SEN, o GATM foi pioneiro em estabelecer-se como uma área de trabalho dentro da Sociedade Andaluz de Neurologia (SAN). Segundo o Dr. Escamilla: “Parece que o neurologista dedicado aos distúrbios do movimento é caracterizado por sua grande preocupação, sua busca perpétua por respostas e sua ganância pelo conhecimento de sua área. Tais qualidades fizeram do GATM um grupo muito ativo dentro da Neurologia ”.