Há anos, o consumo de produtos funcionais com potenciais benefícios para o nosso corpo vem crescendo exponencialmente. E não é surpreendente, porque vários estudos apóiam seus efeitos positivos no fortalecimento do nosso sistema imunológico, na prevenção de distúrbios gastrointestinais e em um longo etcetera que nosso nutricionista Eric Iges desfia.

Um probiótico é um microrganismo vivo que quando administrado em quantidades adequadas, tem efeitos benéficos à saúde. Entre esses benefícios estão seu efeito protetor contra agentes externos, sua influência no sistema imunológico e seus benefícios nutricionais. As espécies mais utilizadas como probióticos são o Lactobacillus (bactérias do ácido láctico) e bifidobactéria (bifidobactérias). Embora as mais conhecidas sejam as anteriores, também podemos encontrar leveduras como Saccharomyces Boulardii. A cada vez surgem novas espécies com propriedades semelhantes que fazem parte de uma longa lista de microorganismos probióticos, ou seja, microorganismos não tóxicos, livres de efeitos adversos e que não causarão infecções.

Por outro lado, Um prebiótico é uma substância ou ingrediente que, uma vez incorporado ao corpo, não pode ser digerido.servindo de substrato para as bactérias benéficas presentes no intestino e favorecendo seu desenvolvimento.

Um aspecto fundamental dos probióticos e prebióticos é que podemos encontrá-los tanto em alimentos e produtos de consumo quanto em suplementos nutricionais. E, finalmente, os simbióticos são aqueles produtos formulados à base de probióticos e prebióticos, e que combinam os efeitos benéficos do ambboss.

Leve-os “de mãos cheias”

Probióticos conhecidos são alguns produtos lácteos, como iogurte ou kefir ou outros alimentos submetidos a um processo prévio de fermentação natural. Como exemplos, podemos falar sobre o kombucha, feito de chá fermentado; do tempeh, da fermentação da soja; ou de chucrute e kimchi, Alimentos probióticos amplamente utilizados hoje e feitos por fermentação de repolho ou repolho. Por outro lado, os amantes da culinária japonesa podem encontrá-los na sopa de missô, uma pasta de soja fermentada. Finalmente, alguns picles, como pepinos, azeitonas e berinjelas em conserva, incorporam uma certa quantidade de probióticos. oh! E não esqueçamos o grande aporte de probióticos que um bom pão feito com fermento incorpora.

o prebióticos podemos obtê-los de diferentes tipos de fibra. Mas para que essas fibras tenham efeito prebiótico, elas devem atender a 3 critérios: resistir ao pH ácido do estômago e à absorção intestinal; ser fermentado pela microflora intestinal e estimular seletivamente as bactérias intestinais associadas à saúde e ao bem-estar. Diferentes tipos de fibra com propriedades prebióticas seriam:

amido resistente: Se cozinharmos batata ou arroz e depois resfriá-los e armazená-los para comer depois, estaremos usando um método muito eficiente para produzir amido resistente, que servirá para alimentar esses microorganismos benéficos que habitam nosso trato gastrointestinal.

Betaglucanos: São um tipo de fibra muito presente na aveia, que fornece muitas das propriedades benéficas atribuídas a este cereal, como a redução do colesterol no sangue.

Inulina: Muito presente na raiz da chicória ou no agave e amplamente utilizado por suas propriedades tecnológicas em relação à sua capacidade de formar géis. Além disso, é um tipo de fibra solúvel presente em diferentes vegetais como alcachofras, cebolas ou alho.

Pectina: Presente principalmente em frutas como maçã, pêra ou laranja, sendo um tipo de fibra que serve de alimento para as bactérias intestinais.

lignina: Presente em vegetais e vegetais de folhas verdes, como acelga ou alface.

mucilagens: Como a inulina, eles são outro tipo de fibra solúvel. Certas sementes ou frutas, como figos, têm um alto teor de mucilagem.

benefícios infinitos

  1. Eles ajudam a repor a flora intestinal. A gastroenterite ou o uso de certos medicamentos como antibióticos, devido ao seu mecanismo de ação, alteram a flora intestinal matando um amplo espectro de bactérias que habitam nosso intestino, algumas delas benéficas. Isso pode causar problemas intestinais, como a conhecida diarréia causada por antibióticos. Para tentar reduzir esses efeitos, tomar probióticos em conjunto pode ser muito útil.
  2. Eles aumentam nosso sistema imunológico: os probióticos poderiam ajudar na resposta imune específica do nosso organismo, ou seja, naquela responsável por aumentar a capacidade de eliminar patógenos de determinadas células. Dessa forma, ativam macrófagos e participam da prevenção de diversos tipos de infecções, além de contribuir para a menor ocorrência de doenças autoimunes, aquelas em que o sistema imunológico ataca as próprias células.
  3. Facilita a digestão e absorção de nutrientes, obtendo com eles um maior aporte nutricional. Por exemplo, as bactérias do ácido lático encontradas no iogurte podem aumentar a absorção de certas vitaminas, proteínas e gorduras.
  4. Reduz os sintomas de intolerância à lactose graças à diminuição da inflamação do epitélio intestinal.
  5. Reduzir a gravidade das infecções e desconforto intestinal. Por exemplo, ajudam na prevenção e tratamento da diarreia associada ao rotavírus, comum em crianças pequenas.
  6. Eles podem ajudar a prevenir o câncer de cólon. Certos estudos realizados em ratos mostraram como as bactérias do ácido lático podem se ligar a diferentes carcinógenos e reduzir sua proliferação potencial, embora ainda faltem mais evidências em humanos.
  7. Previnem a osteoporose e a dermatite atópica. Muitos são ricos em cálcio, fitoestrógenos e oligossacarídeos que podem ser benéficos na osteoporose. Em relação à dermatite atópica, eles poderiam melhorar as lesões cutâneas e reduzir os marcadores de inflamação, principalmente em lactentes. A administração de probióticos às mães durante a gravidez pode ajudar a prevenir essa dermatite em bebês predispostos.

ARME-SE CONTRA INFECÇÕES!

SEGUNDA-FEIRA

Café da manhã: TORRADA DE PÃO DE MASSA INTEGRAL COM PERU E TOMATE. LARANJA. LEITE.
Comida: SALADA DE ARROZ INTEGRAL, FRANGO, AGUCHERIAS E AZEITONAS. KIWI.
Jantar: OMELETE DE ESPINAFRE FRANCESA. PURÊ DE ABÓBORA. IOGURTE NATURAL COM 1 PEÇA DE FRUTA.

TERÇA-FEIRA

Café da manhã: KEFIR COM AVEIA, KIWI E FRUTAS VERMELHAS.
Almoço: SALADA DE MASSA INTEGRAL COM TEMPEH, TOMATE, CENOURA E ABACAXI.
Jantar: IMPERADOR GRELHADO. SAUCERUT COM PAPRIKA.

QUARTA-FEIRA

Café da manhã: TORRADA DE PÃO DE MASSA INTEGRAL COM QUEIJO FRESCO E TOMATE. LARANJA. LEITE.
Almoço: LENTILHAS COZIDAS COM VEGETAIS. FILÉ DE VITELA. IOGURTE NATURAL COM PERA.
Jantar: ALCACHOFRAS GRELHADAS COM PRESUNTO SERRANO. CREME DE VEGETAIS E DE BATATA.

QUINTA-FEIRA
Café da manhã: KEFIR COM AVEIA, KIWI E FRUTAS VERMELHAS.
Almoço: TEMPEH VEGETABLE BURGER. PÃO INTEGRAL. SALADA VARIADA COM FRUTA.

Jantar: SALMÃO DEFUMADO COM FEIJÃO BABY E OVO. PÃO INTEGRAL.

SEXTA-FEIRA
Café da manhã: IOGURTE NATURAL COM BANANA, ONS DE CHOCOLATE >85% E AVEIA.
Almoço: PERU MARINADO GRELHADO. BATATAS COZINHADAS COM ESPINAFRE. LARANJA.
Jantar: SUSHI DE PEIXE. SOPA DE MISSÔ.

SÁBADO
Café da manhã: TORRADA DE PÃO DE MASSA INTEGRAL COM QUEIJO FRESCO E TOMATE. LARANJA. LEITE.

Almoço: SOPA DE MACARRO INTEGRAL COM GRÃO DE BICO E OVO COZIDO.

Jantar: PIADINA COM QUEIJO MOZZARELLA, TOMATE, SOJA TEXTURIZADA E COGUMELOS.

DOMINGO
Café da manhã: PANQUECAS DE AVEIA, OVO E BANANA. IOGURTE E UVAS.
Almoço: MASH DE ABÓBORA E BATATA DOCE. BAIXO GRELHADO. LARANJA.
Jantar: SANDUÍCHE DE PÃO LEVE COM RÚCULA, TOMATE E CARPACCIO DE CARPACIO. IOGURTE NATURAL.