98% dos meninos e meninas entre 10 e 15 anos usam a internet regularmente, o que os faz ficar na frente de suas telas por muito mais tempo do que o recomendado. A pediatra Mª Ángeles Monente aconselha estabelecer limites em casa e organizar o tempo livre com outras atividades.

As novas tecnologias já não são tão novas ou tão desconhecidas. De fato, para muitas crianças e adolescentes, as telas se tornaram seus melhores amigos e o grande passatempo do verão. De acordo com um estudo do Observatório Nacional de Tecnologia e Sociedade (ONTSI), que oferece dados relevantes sobre os hábitos digitais dos menores, 98% dos meninos e meninas entre 10 e 15 anos usam a Internet regularmente e mais de 90% dos maiores de 13 anos possuem telefone celular. Para agilizar as telas neste verão, o Dra. Ángeles Monente Calvo, pediatra do hospital Vithas Lleida, aconselha estabelecer uma série de parâmetros que “poderiam ser aplicados ao longo do ano, mas nas férias assumem especial importância para os adolescentes porque estabelecem um quadro de responsabilidades básicas dada a falta de horário ou compromisso que têm durante o curso. A chave principal é que eles entendam essas restrições como um benefício pessoal e não como uma imposição direta”, afirma.

4 dicas para planejar

  1. Combine com seus filhos os horários e limites de uso, alternando períodos de uso da tela com períodos livres, que “permitem a convivência ativa com todos os membros que fazem parte da unidade familiar”. A opção de cozinhar com a família é muito interessante.
  2. Objetivo: combater a inatividade: organizar as semanas de verão é um desafio para os pais. Promover e acompanhar o lazer não relacionado às telas, principalmente todas as iniciativas que envolvam atividade física. Desta forma, segundo o Dr. Monente, “evita-se a preguiça física e mental e estimula-se a geração de endorfinas, essenciais para o equilíbrio mental”.
  3. Não deixe que usem telas durante as refeições: o especialista alerta: “usar o celular enquanto comemos impede que o cérebro envie sinais quando estamos cheios porque está focado na tela, e isso faz com que comamos mais do que o necessário e não mastigamos bem os alimentos”.
  4. Evite usar telas por uma hora antes de dormir para que “a produção de melatonina seja adequada e nosso relógio interno ajude no início do sono”, explica o Dr. Monente. Nesse sentido, ele acrescenta que “não deve haver telas em nenhum cômodo porque elas interferem no ciclo do sono que nosso cérebro vive, que precisa de um processo de relaxamento para otimizar a qualidade do sono”.

Contra a obesidade infantil

Em nosso país, o excesso de peso atinge quatro em cada dez meninos e meninas e um terço dos adolescentes, segundo o Plano Estratégico Nacional para a Redução da Obesidade Infantil (2022-2030), o que torna especialmente necessárias medidas de promoção da alimentação adequada e do lazer. o Associação Espanhola de Pediatria de Atenção Primária (AEPap)que participou ativamente na preparação deste plano, recomenda, com vista ao verão, redobrar os esforços, tanto das famílias como das administrações, para atingir o objetivo definido neste projeto: reduzir o sobrepeso e a obesidade infantil e adolescente na Espanha em 25% na próxima década sem deixar ninguém para trás.

Pertenço à primeira turma de Jornalismo que saiu do “forno” de Sevilha (em todos os sentidos), em 1994. A falta de experiência de uma faculdade que estava começando me levou a ter… Mais de Paula Rivero